Jefferson Bittencourt

Jefferson Bittencourt é diretor teatral e músico, grjeffaduado em Música e mestrando em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.

Transita na direção entre o teatro, o cinema e a música.

CINEMA: Em 2007 ganhou o prêmio Inovação Fotográfica com o vídeo Olhos de Criança no Festival do Livre Olhar (Flô) em Porta Alegre. Em 2008 estreou o curta-metragem ‘A Mão do Macaco’, prêmio do edital Cinemateca Catarinense. O curta foi selecionado para o 3º curta cine fantástico de São Paulo e para o FAM (Festival Audiovisual do Marcosul, em Florianópolis), assim como foi pré-selecionado para o Hollyshorts Festival em Hollywood. O Travesseiro de Penas (sobre conto de Horacio Quiroga)foi o projeto vencedor do VIº Prêmio FUNCINE de Florianópolis. Para 2018 planeja filmar Peça para Solidão Solo (roteiro original) e o curta Berenice corta o Cabelo (sobre o conto de F. Scott Fitzgerald).

TEATRO: É um dos fundadores, em 2001, da Persona Cia. de Teatro, onde dirigiu os espetáculos F. e Castelo de Cartas – de Rogério Christofoleti, E.V.A. de Christiano de Almeida Scheiner e Nem mesmo a chuva tem mãos tão pequenas sobre a obra ‘The Glass Menagerie’ de Tennessee Williams. De 2008, A Galinha Degolada, sobre conto de Horacio Quiroga, se apresentou em diversas cidades do país participando de projetos importantes como o circuito EmCena Catarina do SESC e do Viagem Teatral, patrocinado pelo SESI – SP. Em 2011 o espetáculo fez parte da programação do Palco Giratório – SESC (turnê nacional) e foi o único representante brasileiro no CASA – Latin American Theatre Festival em Londres.

A partir de 2003 inicia uma parceria com o ator Renato Turnes na criação da Trilogia Lugosi – três monólogos sobre contos fantásticos. O primeiro foi O Coração Delator, sobre conto de Edgar Allan Poe, o segundo Outsider, sobre conto de H. P. Lovecraft e o terceiro, O Fantástico Homem que Imita a si mesmo, sobre história de Fernando Bonassi. Dirigiu em 2008 a atriz Marisa Naspolini, no espetáculo vencedor do Prêmio Myriam Muniz de Teatro daquele ano: Simulacro de uma Solidão, sobre a obra de Ana Cristina César. Em 2012 estréia o monólogo Os Bons Serviços com a atriz Betinha Mânica, do grupo Teatro depois da Chuva, de Passo Fundo no Teatro do Sesc Florianópolis. Também em 2012, estréia o monólogo A Morte de Ofélia com a atriz Samantha Cohen, através do edital municipal de apoio às artes de Joinville. Estreia, em 2014, através do Edital Municipal de Chapecó, o monólogo Visagem, com a contadora de histórias e atriz Josiane Geroldi. Também estreia em 2014, com a Persona Cia de Teatro, a montagem de OTELO de W. Shakespeare (Prêmio Myriam Muniz e Elisabete Anderle 2013) e, em 2016, estreia o espetáculo Cena Morta, com texto de sua autoria.

MÚSICA: Trabalhou como assistente da maestrina Mércia Mafra Ferreira, no Coro Pró Música de Florianópolis – de 1996 a 2003. É responsável pela direção do grupo Cantus Firmus (criado em 2003), especializado em música medieval e renascentista. Realizou com o grupo o projeto ‘Música da Renascença nas Igrejas’, com patrocínio dos Correios, em 6 capitais do país. Realizou em 2011 a gravação do CD ‘Missa Brevis’ com a obra do compositor italiano Giovanni Pierluigi da Palestrina (1525-1594). Realizou a turnê de música erudita do SESI – SP em 2012. Em 2014 lança o primeiro DVD do grupo – Madrigais de Monteverdi, pelo Edital Elisabete Anderle 2013. Em 2015 participa do Festival de Inverno do SESC – RIO e do projeto Rede Sesc de Música – SC. É contemplado com o Edital Elisabete Anderle novamente em 2017, para a comemoração dos seus 15 anos de existência. Também em 2017 passa a integrar como cantor o Polyphonia Khoros, sob a regência de Mércia Mafra Ferreira.

É um dos fundadores da Camarim – Escola de Arte, localizada no Balneário do Estreito, em Florianópolis, onde ministra aulas de música e teatro.
Mestrando em Teatro no Centro de Artes da Udesc, prepara a dissertação – A orquestra invisível: o trabalho do encenador a partir dos conceitos fundamentais da linguagem musical.

Camarim – Escola de Arte: Professor de Canto Antigo, Violão, Flauta-doce e Teatro Avançado

Fernando De Carli

fernando

Barítono lírico catarinense. Estuda e vem se aperfeiçoando desde 1994 com cantores de renome nacional e internacional, sendo os principais: Rute Gebler (RS), Neyde Thomas (SP), Novello Rio (Italia), Elaine Boniolo (ES) e, desde 2013, com o renomado baixo italiano Carlo Colombara em Master Classes e aulas particulares bem como, com o barítono italiano Fulvio Massa(Bologna).

Se apresentou em todos os estados do Brasil (em mais de 100 cidades, além das capitais) pelo projeto Sonora Brasil, do SESC, cantando e dirigindo o octeto do Polyphonia Khoros, coro de Florianópolis idealizado e regido pela maestrina Mércia Ferreira. Também com o Polyphonia Khoros se apresentou na Argentina e Uruguay, e nas montagens completas de diversas óperas como A Flauta Mágica de W. A. Mozart, La Traviata e Rigoletto de G. Verdi e Carmen de G. Bizet, entre outras, junto a Camerata Florianópolis, sob regência de Jeferson Della Rocca,e direção cênica de Antonio Cunha, interpretando Monostatos, Gastone, Borsa e Dancaire, respectivamente. Em duos  de canto e piano com Alexandre Dietrich e Guilherme Amaral, já se apresentou nos 3 estados do Sul do Brasil e também em Sao Paulo, Rio de Janeiro e nos estados da Georgia e Virginia nos Estados Unidos. Foi semifinalista, finalista e primeiro colocado em Concursos Nacionais e Internacionais de canto, a saber, Concurso Internacional de Canto Aldo Baldin(SC),Concurso Rosa Mística(PR)  e Concurso Francisco Mignone(RJ). Em Santa Catarina, além de se apresentar frequentemente com Camerata Florianópolis, ja se apresentou com a Camerata Vieira, OSSCA e orquestra da SCAR de Jaraguá do Sul, sob regência de Jefferson Dela Rocca, Carlos A. Vieira, Nilo do Valle Pereira, Nilton Silva e Daniel Bortholossi. É o regente titular dos corais do Imperial Hospital de Caridade, da Associação Coral Hospital Florianópolis e do Grupo Vocal Rytmos-per-Cy, além de ser regente colaborador no Coral Estreito Jovem da IASD de Florianópolis. Atuou ainda em trilhas para teatro e cinema e na gravação de jingles para as cidades de Florianópolis e Manaus. Em setembro de 2015 passou a integrar o grupo Cantus Firmus de Musica medieval e renascentista, atuando como cantor e preparador vocal do grupo para uma turnê pelo estado de  Santa Catarina pelo Sesc, sob direção do fundador do grupo Jefferson Bittencourt.

Camarim – Escola de Arte: Professor de Canto

Ricardo Castro

RicardoEstudou técnica vocal e repertório com os professores Neyde Thomas e Rio Novello em Curitiba. Aperfeiçoou-se com renomados professores como Jaume Aragal (Espanha), Isabel e Benito Maresca (SP), Ricardo Tutman (RJ), Martina Graff (Alemanha), Carlos Harmuch (Suiça), Luigi Alva (Itália), Tamas Salgo (Hungria), Ulrike Graff e Eduardo Álvares (RJ). Especialização no projeto Tela Lírica , intercâmbio do Centro Cultural Teatro Guaíra e Universidade e Conservatório de Adria, Itália. Premiações: Venceu o concurso de canto Aldo Baldin nas edições 2001 e 2008. Foi solista em inúmeras montagens de ópera como Madama Butterfly, Carmem, L’elisir D’amore, Die Zauberflöte, Bastien e Bastienne, Porgy and Bess, Il Guarani, Rigoletto, L’enfat et le sortilège, La Traviata , Cantata do Café, com destaque para A Viúva Alegre e O Rapto do Serralho, ambos sob regência do maestro Julio Medaglia. Em concerto foi solista da Nona Sinfonia de Beethoven com a Orquestra Sinfônica do Paraná no Teatro Guaíra sob regência do maestro português Osvaldo Ferreira e com a OSUEL no Festival de Música de Londrina com quem também cantou a Missa Santa Cecília de Gounod sob regência do italiano Maurizio Colasanti.Professor da Estação das Artes e Escola Camarim em Florianópolis. Foi professor convidado pelo Instituto Federal do Piauí (IFPI) para o “Curso de aperfeiçoamento vocal para cantores” em 2014.Desde 2013 é professor de técnica vocal e repertório no Festival de Musica de Londrina, onde também juntamente com a OSUEL, participa de diversos concertos durante o festival internacional de música de Londrina.Em 2015 interpretou o papel de Azael da Cantata L’enfant prodigue de Debussy.

Camarim – Escola de Arte: Professor de Canto

Kalinka Damiani

Kalinka site

Cantora premiada, Kalinka Damiani é graduada em Música pela UDESC, aperfeiçoou-se com a professora Neyde Thomas na Escola de Belas artes do Paraná. Conquistou 1° Lugar e Troféu ABAL de Melhor Intérprete de Carlos Gomes no Concurso Carlos Gomes; Melhor Soprano leggero no IV Concurso Maria Callas; 1º Prêmio no Concurso Aldo Baldin; 1° lugar – Concurso Bianca Bianchi; Melhor Intérprete de Mozart e Grande Prêmio do Público no V Concurso Maria Callas.

            Debutou em 1999, na ópera Elisir d’Amore no papel de Adina, no Teatro Guaíra em Curitiba e em seguida vieram grandes títulos de óperas no Brasil e no exterior. Entre elas destacam-se La Traviata, Die Zauberflöte, I Capuleti e I Montecchi, La Serva Padrona, Il Guarany, Rigoletto, O Empresário, O Rapto do Serralho, Giulio Cesare, L’Enfant et le Sortileges, Viúva Alegre, O Barbeiro de Seviglia, Lucia di Lammermoor e recentemente La Voix Humaine.

            Integra o corpo de professores do Encontro de Cantores de Curitiba, Festival de Música de Londrina e Oficina de Música de Curitiba. Em 2008 ingressou como professora dos cursos de Artes Cênicas e Música da UDESC.

            Sobre uma de suas performances em La Traviata a revista espanhola Opera Actual assim colocou: (…) “sobresalió Kalinka Damiani con una excelente preperación a nível vocal e interpretativo, con una voz de timbre elegante (…)”

Camarim – Escola de Arte: Professora de Canto e Piano

 

Thaís Putti

Graduanda do curso de Licenciatura em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina, Thaís Putti é atriz e professora de teatro. Está em cartaz com o espetáculo Insólito (2013) com direção de Carlos Longo, UZ (2014) com direção de Renato Turnes e dramaturgia de Gabriel Calderón, e $em Vintén$ (2014) uma adaptação da Ópera dos Três Vinténs de Bertolt Brecht e com direção de Diego di Medeiros (2014).

Camarim – Escola de Arte: professora de Teatro para Crianças

Giselle Kincheski

GISELLE KINCHESKI é atriz, produtora e professora de teatro. Cursa Graduação em Artes Cênicas na Universidade Federal de Santa Catarina. Participa como atriz e produtora da Persona Cia de Teatro desde 2013. Produz e atua no espetáculo OTELO,a partir da obra homônima de William Shakespeare com a Persona Cia de Teatro (2014). Fez parte do Studio de Ginástica e Dança do IEE como bailarina e como atriz participou do Grupo Teatro em Trâmite. Estréia em 2016 CENA MORTA, o mas novo espetáculo da Persona Cia de Teatro.

Camarim – Escola de Arte: professora do Curso de Teatro para Iniciantes Adolescentes e Adultos