JEFFERSON BITTENCOURT

Diretor teatral e músico, graduado em Música e Mestre em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.

Transita na direção entre o teatro, o cinema e a música.

CINEMA: Em 2007 ganhou o prêmio Inovação Fotográfica com o vídeo Olhos de Criança no Festival do Livre Olhar (Flô) em Porta Alegre. Em 2008 estreou o curta-metragem ‘A Mão do Macaco’, prêmio do edital Cinemateca Catarinense. O curta foi selecionado para o 3º curta cine fantástico de São Paulo e para o FAM (Festival Audiovisual do Mercosul, em Florianópolis), assim como foi pré-selecionado para o Hollyshorts Festival em Hollywood. O Travesseiro de Penas (sobre conto de Horacio Quiroga) foi o projeto vencedor do VIº Prêmio FUNCINE de Florianópolis.

TEATRO: É um dos fundadores, em 2001, da Persona Cia. de Teatro, onde dirigiu os espetáculos F. e Castelo de Cartas – de Rogério Christofoleti, E.V.A. de Christiano de Almeida Scheiner e Nem mesmo a chuva tem mãos tão pequenas sobre a obra ‘The Glass Menagerie’ de Tennessee Williams. De 2008, A Galinha Degolada, sobre conto de Horacio Quiroga, se apresentou em diversas cidades do país participando de projetos importantes como o circuito EmCena Catarina do SESC e do Viagem Teatral, patrocinado pelo SESI – SP. Em 2011 o espetáculo fez parte da programação do Palco Giratório – SESC (turnê nacional) e foi o único representante brasileiro no CASA – Latin American Theatre Festival em Londres. A partir de 2003 inicia uma parceria com o ator Renato Turnes na criação da Trilogia Lugosi – três monólogos sobre contos fantásticos. O primeiro foi O Coração Delator, sobre conto de Edgar Allan Poe, o segundo Outsider, sobre conto de H. P. Lovecraft e o terceiro, O Fantástico Homem que imita a si mesmo, sobre história de Fernando Bonassi. Dirigiu em 2008 a atriz Marisa Naspolini, no espetáculo vencedor do Prêmio Myriam Muniz de Teatro daquele ano: Simulacro de uma Solidão, sobre a obra de Ana Cristina César. Em 2012 estréia o monólogo Os Bons Serviços com a atriz Betinha Mânica, do grupo Teatro depois da Chuva, de Passo Fundo no Teatro do Sesc Florianópolis. Também em 2012, estréia o monólogo A Morte de Ofélia com a atriz Samantha Cohen, através do edital municipal de apoio às artes de Joinville. Estreia, em 2014, através do Edital Municipal de Chapecó, o monólogo Visagem, com a contadora de histórias e atriz Josiane Geroldi. Também estreia em 2014, com a Persona Cia de Teatro, a montagem de OTELO de W. Shakespeare (Prêmio Myriam Muniz e Elisabete Anderle 2013) e, em 2016, estreia o espetáculo Cena Morta, com texto de sua autoria. Estreou em agosto de 2019, também com a Persona, o espetáculo Paraíso, SC a partir de argumento de sua autoria; e em novembro do mesmo ano o espetáculo infantil A Bruxinha Arlete com texto de Giselle Kincheski. E, em agosto de 2019, estreia o espetáculo Um Tonto Numa Caixa, com texto do argentino Martín Giner, num projeto a convite do ator Álvaro Guarnieri.

MÚSICA: Trabalhou como assistente da maestrina Mércia Mafra Ferreira, no Coro Pró Música de Florianópolis – de 1996 a 2003. É responsável pela direção do grupo Cantus Firmus (criado em 2003), especializado em música medieval e renascentista. Realizou com o grupo o projeto ‘Música da Renascença nas Igrejas’, com patrocínio dos Correios, em 6 capitais do país. Realizou em 2011 a gravação do CD ‘Missa Brevis’ com a obra do compositor italiano Giovanni Pierluigi da Palestrina (1525-1594). Realizou a turnê de música erudita do SESI – SP em 2012. Em 2014 lança o primeiro DVD do grupo – Madrigais de Monteverdi, pelo Edital Elisabete Anderle 2013. Em 2015 participa do Festival de Inverno do SESC – RIO e do projeto Rede Sesc de Música – SC. É contemplado com o Edital Elisabete Anderle novamente em 2017, para a comemoração dos seus 15 anos de existência. De 2017 a 2019 participou como cantor e produtor do Polyphonia Khoros, sob a regência de Mércia Mafra Ferreira.

Professor de violão popular, alaúde, flauta-doce, canto antigo, interpretação música antiga, apreciação cinematográfica e edição.
Camarim - Escola de Arte

GISELLE KINCHESKI

Natural de Florianópolis, atua hoje como atriz, produtora cultural e professora de teatro.  Graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Desde 2013 é produtora e atriz da Persona Cia de Teatro. Está no elenco de três espetáculos ativos da companhia trabalhando como atriz e produtora: PARAÍSO, SC (2019) – premiado no edital 009/2018 de apoio às culturas do fundo municipal de cultura de Florianópolis, A BRUXINHA ARLETE (2019) – premiado no edital 009/2018 de apoio às culturas do fundo municipal de cultura de Florianópolis e CENA MORTA (2016), todos com direção de Jefferson Bittencourt. Em seu currículo na Persona também se encontra a participação como atriz e produtora do espetáculo OTELO de W. Shakespeare, premiado no Edital Funarte de Teatro – Myriam Muniz 2013 e Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2013, estes últimos também com direção de Jefferson Bittencourt.

Professora da Camarim – Escola de Arte desde 2014, assina a direção dos seguintes espetáculos que fizeram parte das  Mostras Culturais da escola: Looping Cotidiano, turma de teatro adulto Camarim Escola de Arte (2019);  A fofoca nossa de cada dia, turma de teatro para adolescentes Camarim Escola de Arte (2019);  espetáculo Mais nove meses! turma de teatro adulto Camarim Escola de Arte (2018);  Por onde você anda?, turma de teatro adolescentes Camarim Escola de Arte (2018);  Leitura Dramática: A Farsa do Advogado Pathelin, turma adulto Camarim Escola de arte (2017); #ENTRE AMIGOS, turma de teatro para adolescentes Camarim Escola de Arte (2017);  #Encontro na TV, turma de teatro para adolescentes da Camarim Escola de Arte (2016);  Medida por Medida de William Shakespeare, turma de teatro adulto da Camarim Escola de Arte (2016);  livre adaptação do anime NARUTO, turma de adolescentes da Camarim Escola de Arte (2015);  Quando as palavras sonham, turma adulto Camarim escola de Arte (2015), EM CENA da turma de teatro iniciantes da Camarim Escola de Arte (2014).

No Curso de artes cênicas da UFSC participou como atriz das seguintes montagens; A Era dos Terremotos – ou vai Piorar, direção: Fabio Salvatti, estreia caixa Preta – UFSC (2017) e do espetáculo TOM – Histórias de Amor e Música, direção: Kitty Kittel, estreia Caixa Preta UFSC (2017).

Participou como atriz no espetáculo: O retorno do triunfo da medicina ESPIRITUAL, MILAGREIRA E NATURAL da Sinhá Chica do Mané Pedro Maré Seca, contra os poderes avermelhados do anjo LUCIFÉR.” Direção: André Francisco (2012) e produziu os espetáculos barro, da obra de Manoel de Barros, direção: André Francisco (2011) e Produção da temporada do monólogo Dona Margarida no colégio CEPU, Teatro em Trâmite, direção: André Francisco (2011).

 Foi aluna na Camarim Escola de Arte e integrou o elenco das seguintes montagens:  Antígona, direção André Francisco, estreia Teatro do SESC Prainha – Florianópolis/SC (2012). “Últimos Suspiros de um Delírio Grego”, direção: André Francisco, estreia Teatro Armação – Florianópolis/SC (2011). Participação na leitura dramática de Os Suspeitos da Mansão Dubois, direção Gláucia Grigolo, estreia Teatro da Ubro – Florianópolis/SC (2010).

Como produtora de cinema, assina a direção de produção do curta metragem O Travesseiro de Penas (sobre conto de Horacio Quiroga) projeto vencedor do VIº Prêmio FUNCINE de Florianópolis e do DVD Cantus Firmus – Madrigali D’Amore, projeto premiado pelo edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2013.

Professora do Curso de Teatro para Iniciantes: Adolescentes e Adultos.
Camarim - Escola de Arte

ALICIA PRUDENCIO

Sempre ligada ao mundo das artes, Alicia ingressou no meio artístico com 10 anos de idade. Seus primeiros contatos com aulas e trabalhos de canto (coral), teatro (musicais) e dança (urbanas) foram na instituição ASACAD de Braço do Norte, onde permaneceu por 8 anos, sendo 5 como estudante e os 3 últimos como estagiária de Canto Coral e Dança. Durante esse período realizou também aulas de jazz e ballet clássico iniciante no Studio de Dança Raquel Pereira, teve a oportunidade de participar de apresentações de teatro como artista e assistente de direção, festivais de dança como bailarina (BN em Dança, Santa Catarina em Dança, Desterro, Unidança da Unisul) e coreógrafa (BN em Dança), banda de shows, eventos cerimoniais e até de um projeto chamado Ponto de Cultura organizado pela Fundação Catarinense de Cultura. No ano de 2017 ingressou no curso de Artes Cênicas da UFSC. Em 2018 Alicia foi contratada para estagiar como professora de Teatro na Escolinha de Arte de Florianópolis do CIC, onde permaneceu no período de dois anos, ensinando e teatrando com crianças e adolescentes. Também em 2018 vivenciou sua primeira experiência com o teatro musical em Florianópolis com o espetáculo Aladdin o Musical, produzido pela Lart Produções em parceria com o Espaço Movidança, onde fez parte do elenco de condução. Ainda nesse ano recomeçou a fazer aulas de dança no Espaço Movidança e participou do espetáculo de encerramento de ano da escola, como bailarina/elenco de condução, Espetáculo Frozen, que foi reapresentado em 2019. No ano de 2019 fez parte do espetáculo Sítio do Picapau Amarelo o Musical, da RPR Produções, como a personagem Tia Nástacia e elenco de condução. E ainda fez parte do espetáculo O Rei Leão do Espaço Movidança como a personagem Sarabi e assistente de direção teatral. Desde 2018 realiza trabalhos de personagens vivo, principalmente com a personagem Moana, em eventos e pocket shows. No ano de 2020 Alicia realizou workshops de Teatro gratuitos para crianças e adolescentes no Studio de Dança Raquel Pereira de Braço do Norte. Ainda em 2020, fez parte de uma nova forma de fazer arte, na situação difícil que o mundo enfrenta, com um espetáculo em formato Drive in, Moana O Show produzido pela cia Grito, nesse espetáculo Alicia deu vida a sua primeira personagem principal, a aventureira Moana. Atualmente, Alicia trabalha com aulas de teatro infantil e juvenil e de jazz infantil no Espaço Movidança e na Instituição Aloha School. Está no último semestre do Curso de Artes Cênicas e continua fazendo trabalhos artísticos por Florianópolis e região.

.

Professora do Curso de Teatro para Crianças.
Camarim - Escola de Arte

RICARDO CASTRO

Tenor – Estudou com Neyde Thomas, Rio Novello, Jaime Aragal, Isabel Maresca, Ricardo Tutman, Martina Graff, Carlos Harmuch, Luigi Alva, Tamas Salgo, Ul-rike Graff , Eduardo Álvares e Benito Maresca. Parti-cipou em papéis de destaque das óperas La Traviata, Madama Butterfly, Porgy and Bess, O Guarany, Carmen, A Flauta Mágica, Joana de Flandres e Rigoletto. Atuou em várias cidades como Curitiba, Porto Alegre, São Paulo, sob a regência de Íon Bressan, Carlos Fiori-ni, Jeferson Della Rocca, Alessandro Sangiorgi e Osvaldo Ferreira e com várias orquestras entre elas a Sinfônica de Porto Alegre e a Camerata Florianópolis. Por sua atuação na ópera La Traviata no papel de Giuseppe obteve reconheci-mento da importante revista espanhola Opera Actual de Barcelona. Em 2008 venceu o Concurso de Canto Aldo Baldin para o papel de Nemorino da ópera L’Elisir D’Amore.

Professor de Canto / Expressão Vocal.
Camarim - Escola de Arte

KALINKA DAMIANI

Cantora premiada. é graduada em Música pela UDESC e aperfeiçoou-se com a professora Neyde Thomas na Escola de Belas artes do Paraná. Conquistou 1° Lugar e Troféu ABAL de Melhor Intérprete de Carlos Gomes no Concurso Carlos Gomes; Melhor Soprano leggero no IV Concurso Maria Callas; 1º Prêmio no Concurso Aldo Baldin; 1° lugar – Concurso Bianca Bianchi; Melhor Intérprete de Mozart e Grande Prêmio do Público no V Concurso Maria Callas.

Debutou em 1999, na ópera Elisir d’Amore no papel de Adina, no Teatro Guaíra em Curitiba e em seguida vieram grandes títulos de óperas no Brasil e no exterior. Entre elas destacam-se La Traviata, Die Zauberflöte, I Capuleti e I Montecchi, La Serva Padrona, Il Guarany, Rigoletto, O Empresário, O Rapto do Serralho, Giulio Cesare, L’Enfant et le Sortileges, Viúva Alegre, O Barbeiro de Seviglia, Lucia di Lammermoor e recentemente La Voix Humaine.

Integra o corpo de professores do Encontro de Cantores de Curitiba, Festival de Música de Londrina e Oficina de Música de Curitiba. Em 2008 ingressou como professora dos cursos de Artes Cênicas e Música da UDESC.

Sobre uma de suas performances em La Traviata a revista espanhola Opera Actual assim colocou: (…) “sobresalió Kalinka Damiani con una excelente preperación a nível vocal e interpretativo, con una voz de timbre elegante (…)”.

Professora de Canto e Piano.
Camarim - Escola de Arte